Blog

China vai investir em logística no Brasil

Brasília – A China vai selar em Brasília, no dia 17, compromissos políticos de investir na melhoria da logística brasileira de escoamento de soja e de minérios ao exterior e de enviar uma parcela de seus fundos soberanos para engrossar a presença de suas empresas no País.

Pequim quer mais empresas e negócios no Brasil. Ambos os temas estarão no comunicado final do encontro reservado entre os presidentes Xi Jinping e Dilma Rousseff, no Palácio do Planalto.

O presidente Xi Jinping fará sua visita de Estado ao Brasil entre os dias 17 e 18. Mas estará no País desde o dia 13, quando deverá assistir à final da Copa, no Rio, ao lado de Dilma.

Nos dias seguintes, participará da reunião de Cúpula dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), em Fortaleza, e do encontro desse fórum com os países da União Sul-Americana de Nações (Unasul).

Na manhã de 17, vai se reunir com os líderes do quarteto da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac) – Costa Rica, Cuba, Equador e Antíguas e Barbuda – mais México e Brasil.

Essa primeira vinda de Xi ao Brasil está em negociação desde sua posse, em novembro. “Essa visita terá uma simbologia própria porque se dará nos 40 anos da abertura de relação diplomática entre Brasil e China”, afirmou o embaixador José Alfredo Graça Lima, subsecretário-geral de Assuntos Políticos 2 do Itamaraty.

O governo chinês quer garantir a participação de suas companhias em projetos portuários e ferroviários que serão licitados pelo governo. Em especial, naqueles que fazem parte do projeto de integração física sul-americana e que permitirão o escoamento de minérios e de produtos agrícolas aos portos do Norte (mais próximos do Canal do Panamá) e dos países vizinhos banhados pelo Oceano Pacífico.

O Peru será o alvo inicial, segundo o embaixador Francisco Mauro Brasil de Holanda, diretor do Departamento de Ásia e Oceania do Itamaraty.

O interesse da China tem clara motivação: o país precisa de alimentos e minérios mais baratos, em especial neste momento de esforço para elevar a participação do consumo interno no crescimento. A produção da zona hoje conhecida como Mapitoba – as fronteiras agrícolas do Maranhão, Piauí, Tocantins e Bahia – e as reservas de minério de ferro do Norte brasileiro são os alvos preferenciais.

Os projetos ferroviários abrirão à China as oportunidades adicionais de exportar bens e serviços de alta tecnologia ao Brasil.

Fonte: SETCESP

Como organizar o seu HOME OFFICE

A maioria das pessoas nem mesmo percebe, mas uma mesa desorganizada pode causar uma tremenda frustração – e muita perda de produtividade. O fato é que uma mesa bagunçada torna extremamente difícil executar muito de qualquer coisa.


Aqui estão seis sugestões práticas para evitar distrações em sua mesa:

1. Arquive imediatamente

Isto não pode ser repetido com freqüência suficiente: “Evite empilhar papéis!” Pode ser difícil lidar com a papelada, mas uma mesa organizada é uma necessidade crítica para a eficiência. Não deixe os papéis se tornarem impossíveis de gerenciar. Existem muitas ferramentas e estratégias disponíveis para ajudá-lo.

2. Encontre e use outros espaços planos que não sejam sua mesa

Armários laterais de arquivos podem ser usados como espaço adicional de armazenagem. Mesmo se você trabalha em um cubículo, há provavelmente um lugar onde você pode guardar coisas como fichários e catálogos, ao invés de deixá-los acumular em sua mesa.

3. Use as prateleiras

Prateleiras, não sua mesa, são o melhor lugar para itens como o catálogo telefônico, revistas e vídeos.

4. Estabeleça um caixa de entrada

Toda vez que adquirir uma nova folha de papel, decida se ela vai para a caixa de entrada para atenção, ou para o lixo. Aqui está as regras para gerenciar sua caixa de entrada:

• Coloque-a próxima da lata de lixo.

• Crie uma rotina de revisão dos conteúdos pelo menos uma vez por dia.

• Jogue o lixo fora imediatamente.

• Date todas as correspondências que receber.

• Separe papeis que precisam de sua atenção daqueles que precisam ser arquivados.

• Certifique-se de que sua caixa de entrada esteja vazia no fim do dia. Tudo que merece ser feito deve ser feito com capricho e imediatamente. Caso contrário, arquive e agende uma data para executar a tarefa que exija os papéis em sua caixa.

5. Erradique sua bagunça pessoal

Você está em casa, então você não deveria precisar encher sua mesa com itens pessoais como fotografias e outras coisinhas. Se sentir saudade destes itens quando estiver trabalhando, dê uma volta na sala de estar.

6. Guarde tudo

Organizadores de escritórios como separadores de arquivos e caixas plásticas são ideais para guardar uma ampla variedade de materiais de escritório que podem se acumular em sua mesa. Use estes acessórios para coisas como pastas, cartas, disquetes e CDs.

Fonte: Organize a sua vida

Diesel para transporte de carga em rios pode ficar isento de PIS e Cofins

Projeto de autoria do senador Alfredo Nascimento (PR-AM) estabelece isenção de tributos para a venda ou importação de óleo diesel destinado ao transporte fluvial de cargas. O PLS 15/2014 espera parecer do relator Francisco Dornelles (PP-RJ) na Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI).

De acordo com a proposta, a pessoa jurídica que vender ou importar diesel destinado ao transporte de carga em rios poderá ficar isenta da Contribuição para os Programas de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PIS/Pasep), da Contribuição para o PIS/Pasep-Importação, da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e da Cofins-Importação. A empresa terá de se cadastrar previamente na Receita Federal para obter o incentivo.

A empresa ficará obrigada a destinar o diesel exclusivamente para o transporte fluvial de cargas. Caso contrário, deverá recolher as contribuições não pagas com juros e multa.

Na avaliação de Alfredo Nascimento, o óleo diesel usado em embarcações que transportam carga em rios sofre alta carga de tributos, o que acaba por onerar o preço final das mercadorias e insumos transportados.

Com a consequente diminuição do preço do frete fluvial, argumenta o senador na justificação da matéria, o transporte hidroviário será incentivado, diminuindo o preço dos produtos e aumentando a oferta. “Para a população brasileira, em especial a ribeirinha, a redução das contribuições sociais será muito vantajosa. Essa diminuição reduzirá o preço final de venda dos produtos aos consumidores, o que possibilitará o acesso a uma maior quantidade de mercadorias a preços mais razoáveis, estimulando o consumo. O aumento do consumo é positivo para a economia e para o próprio governo, que incrementará sua arrecadação tributária”, assinala Alfredo Nascimento.

Depois de ser apreciado pela CI, o PLS 15/2014 será analisado em decisão terminativa pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE).

Fonte: SETCERGS

BR-163/MS começa a ser duplicada

As obras de duplicação da BR-163/MS foram iniciadas após as autorizações especiais do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Conforme previsto em contrato de outorga com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), a empresa concessionária responsável pelo trecho, MS Via, deve concluir a duplicação dos primeiros 10% da rodovia e construir as praças de pedágio em até 18 meses, contados a partir de abril de 2014.

A duplicação ocorrerá em dez pontos da rodovia, em um total de 89,2 quilômetros de extensão. Além disso, será realizada a construção das 17 bases operacionais do Serviço de Atendimento ao Usuário (SAU) e de nove Praças de Pedágio.

A partir de outubro, também serão iniciados os trabalhos de operação da rodovia, com a implantação do SAU, com atendimentos médico e mecânico, serviço 0800 (Disque CCR MSVia), inspeção de tráfego e apoio ao usuário. Os serviços serão prestados a partir de instalações provisórias, enquanto são construídas as bases operacionais.

O SAU contará com cerca de 500 colaboradores distribuídos ao longo da BR-163/MS, entre eles 259 profissionais de Atendimento Pré-Hospitalar, dos quais 35 médicos, que trabalharão em plantões 24 horas. As equipes serão apoiadas por uma frota composta por 17 ambulâncias-resgate (sendo cinco Unidades de Tratamento Intensivo), 25 guinchos (entre leves e pesados), 19 inspeções de tráfego e 11 caminhões de serviço. O serviço será comandado por um Centro de Controle Operacional, localizado em Campo Grande.

Confira os trechos que serão duplicados:

Caarapó – do km 192,3 ao km 203,5 (11,2 km de extensão, sentido Sul); Caarapó – do km 227,3 ao km 237,1 (9,8 km de extensão, sentido Sul); Jaraguari – do km 513,3 ao km 519,7 (6,4 km de extensão, sentido Sul); Bandeirantes/Camapuã – do 580,3 ao km 591,0 (10,7 km de extensão, sentido Sul); S. Gabriel do Oeste/Bandeirantes/Camapuã – do km 595,0 ao km 602,0 (7,0 km de extensão, sentido Sul); São Gabriel do Oeste – do km 620,4 ao km 629,0 (8,6 km de extensão sentido Sul); São Gabriel do Oeste – do km 630,3 ao km 648,7 (18,4 km de extensão, sentido Sul); Rio Verde de Mato Grosso – do km 651,8 ao km 656,2 (4,4 km de extensão, sentido Sul); Rio Verde de Mato Grosso – do km 694,9 ao km 699,5 (4,6 km de extensão, sentido Sul); e Sonora – do km 824,5 ao km 832,6 (8,1km de extensão, sentido Norte).

As praças de pedágio serão construídas nos seguintes locais:

Mundo Novo, km 28,1; Itaquiraí, km 113,0; Caarapó, km 227,7; Rio Brilhante, km 313,5; Campo Grande, km 432,2; Jaraguari, km 535,4; São Gabriel do Oeste, km 605,0; Rio Verde de Mato Grosso, km 705,2; e Pedro Gomes, km 819,8.

As bases operacionais do Serviço de Atendimento ao Usuário (SAU) serão construídas nos seguintes segmentos:

Base 1 – Mundo Novo; Base 2 – Itaquiraí; Base 3 – Naviraí; Base 4 – Juti; Base 5 – Caarapó; Base 6 – Dourados; Base 7 – Rio Brilhante; Base 8 – Nova Alvorada; Base 9 – Campo Grande (Anhanduí); Base 10 – Campo Grande; Base 11 – Bandeirantes; Base 12 – Congonha; Base 13 – S. Gabriel do Oeste; Base 14 – Rio Verde de MT; Base 15 – Coxim; Base 16 – Coxim; e Base 17 – Pedro Gomes.

ASCOM ANTT, com informações da concessionária MS Via.

Fonte: ANTT