Blog

App fiscaliza rodovias de São Paulo

Quem trafega pelos 6,4 mil quilômetros de rodovias como Bandeirantes, Raposo Tavares, Anhanguera, Rodoanel, Castelo Branco, Anchieta, Imigrantes, além de outras em todo o estado de São Paulo, já pode usar a mobilidade para fiscalizar, em tempo real, as condições dessas estradas. O Programa de Concessões Rodoviárias do Estado de São Paulo, a ARTESP (Agência de Transporte do Estado de São Paulo) lançou o aplicativo “Eu-Vi”, gratuito e disponível para os sistemas iOS (iPhone) e Android.

Como dirigir e usar o celular são ações que, realizadas ao mesmo tempo, comprometem a segurança dos usuários nas rodovias, ao abrir o “Eu-Vi”, o surge um aviso de que somente o carona ou outro passageiro pode utilizar o aplicativo com o veículo em movimento. De acordo com a ARTESP, o motorista nunca deverá utilizar o celular dirigindo, devendo procurar um local seguro e fora da via para relatar a ocorrência.

Ao usar o aplicativo o motorista não pode se envolver em situações de risco que comprometam a sua vida e a dos demais motoristas e usuários da rodovia. A ARTESP orienta que os usuários do aplicativo sempre sigam essas recomendações:

Com o app, os motoristas podem ainda sugerir melhorias ou relatar à ARTESP qualquer problema vivenciado em uma das rodovias sob concessão no estado de São Paulo. O Aplicativo também oferece serviços de imagens, fotos e vídeos de até 10 segundos, que serão georeferenciados. O objetivo é que o usuário registre situações como buraco no asfalto ou placas danificadas (veja lista completa ao final do texto).

Após postar a foto ou vídeo, o usuário poderá fazer um comentário relatando a ocorrência ou sugestão. O registro será enviado diretamente para a ARTESP, que irá acionar a concessionária responsável pela rodovia para responder e solucionar o problema.

De acordo com a ARTESP, pelo contrato de concessão, as empresas têm prazos estipulados para dar solução a cada tipo de problema que apareça na rodovia sob sua administração. Se este prazo for desrespeitado, está prevista punição, que varia de autuação, multa e até mesmo perda da concessão. Para o usuário, as concessionárias terão prazo de até 10 dias para enviar resposta.

As manifestações serão validadas através do reconhecimento do sinal GPS do smartphone, por isso é importante que o sistema do aparelho do usuário esteja ligado e com conexão ativa de internet. Se o sinal de internet estiver fraco, o aplicativo guarda o registro, e o usuário poderá enviá-lo assim que houver sinal ou conseguir acessar uma rede de wi-fi. A Agência adverte que não serão atendidas as manifestações de locais fora da malha rodoviária sob concessão (por exemplo, um local de dentro da cidade), ou que estejam fora da área de atuação da ARTESP.

Confira abaixo situações que o motorista/passageiro pode mostrar por meio do “Eu-Vi”, e os respectivos prazos para que o problema seja solucionado:

Conservação de barreiras de concreto – solução em uma semana;

Defensas metálicas e cercas – solução em uma semana;

Mato alto ao longo da pista – acionamento das equipes de imediato;

Pichação ao longo da estrada – solução em uma semana;

Limpeza de canaletas e bueiros – solução em um mês;

Iluminação de passarelas – solução em uma semana;

Conservação de ponto de ônibus – solução em uma semana;

Conservação de pontes, viadutos e túneis – solução em uma semana;

Conservação de sinalização (placas, faixas) – repintura em uma semana/limpeza em um mês;

Buraco no asfalto – solução em um dia;

Lixo na estrada – solução em uma semana;

Queimada/fumaça – acionamento das equipes de imediato;

Animais na estrada – solução em um dia.

Fonte: SETCESP

Saindo da mesmice: 10 dicas que mudarão a cara da décor da sua casa

Ao falarmos em mudar a casa, mirabolamos grandes reformas e gastos. Poeira, sujeira e muita dor de cabeça. Mas se engana quem acha que é só deste jeito que podemos dar uma nova identidade aos ambientes. Com pequenas mudanças de cor, material e disposição de objetos, o lar pode ganhar ares mais frescos e modernos.

Listamos dez mudanças fáceis e bem acessíveis para quem cansou de olhar sempre para a mesma parede ou enjoou de se jogar no sofá marrom que entristece o ambiente. É hora de mudar sem passar trabalho!

1. Sofá colorido

Quem disse que só existe sofá cinza, bege, marrom ou preto? Ao invés de mudar a cor de uma parede da sala, uma boa ideia é utilizar o sofá como ponto de cor no ambiente. Vermelho, rosa, verde; tons pasteis, tons escuros; em couro, camurça ou até veludo, as opções são muitas. Fuja do óbvio!

2. Tijolo a vista x branco

Em meio a quartos e salas com paredes branquinhas, poucos metros de parede de tijolo a vista fornecem um quê de aconchego a qualquer ambiente. Se mesclada com branco itens em branco – em mesas, cadeiras e até no piso – a parede cria um ar sofisticado e ultramoderno.

3. Quadros não-pendurados

O quadro está apoiado na bancada? No chão? Engana-se quem pensa que é desleixo. A mania dos quadros cuidadosamente não-presos na parede é um dos truques mais fáceis de modernizar uma casa. Quando enjoar, é só trocar de cômodo. Viu só?

4. Escada de madeira = prateleira

O mix do rústico com o moderno é sempre bem-vindo na decoração de uma casa. Na lista de alternativas diferentes, além da escolha de móveis feito com madeira de demolição, uma boa dica é reutilizar itens como caixas de feira e até mesmo escadas de madeira, transformando-as como prateleiras para livros e artigos de decoração.

5. Garrafas de vidro

De vinho, de espumante, de água, do que for: as garrafas de vidro ganham uma nova cara ao se transformarem em vasos para flores e arranjos de plantas de todos os tipos.

6. Divisória de madeira na área de serviço

Área de serviço não precisa ser sinônimo de bagunça, mas nem todo mundo quer ter seu varal de roupas exposto dentro de casa, certo? Uma boa opção é inserir uma divisória ou porta de correr entre um ambiente e outro. Além de cortar aquele clima frio do ambiente, traz um clima de aconchego ao lar.

7. Cama com pallets

Mais uma ideia interessante para quem gosta de um toque rústico no lar. Um simples conjunto de pallets inserido abaixo de uma cama box já renova qualquer quarto, exigindo uma quantidade mínima e gastos. Mas cuidado: nada de usar o truque em ambientes muito pesados e repletos de cores e artigos decorativos; ele funciona melhor em uma decoração clean.

8. Cimento queimado + cor

Ao invés da clássica combinação parede branca + parede colorida, que tal inserir uma parede de cimento queimado na casa para neutralizar o colorido? O ar industrial fica super moderno e sofisticado.

 

9. Geladeira colorida ou estampada

Em uma cozinha neutra – como a maior parte das cozinhas são -, a bossa pode ficar por conta da própria geladeira. Estampada ou simplesmente colorida, engana-se quem pensa que para isso o modelo precisa ser retrô: há diversos lugares que prestam serviço de pintura de geladeira. Que tal tentar?

10. Cadeiras diferentes

Todo dia uma cadeira! O charme de uma sala de jantar pode ser resultado de um mix variado e assimétrico de cadeiras que, combinadas a uma boa mesa de madeira ou vidro, trazem um quê de elegância despretensiosa que termina por ser ultrassofisticado.

Fonte: Donna

Pesquisa avalia transportes terrestres em todo o Brasil

Usuários apontam atributos mais necessários nas rodovias e ferrovias brasileiras.

Em pesquisa realizada entre março e junho deste ano, foram respondidos 89 mil questionários com itens relacionados aos serviços sob competência da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), como transporte rodoviário interestadual e internacional de passageiros (regular, semiurbano e fretado), ferroviário de passageiros (regular e turístico) e de cargas, exploração de rodovias federais pela iniciativa privada.

A Pesquisa de Satisfação dos Usuários é um importante instrumento de participação social e de promoção da melhoria da qualidade dos serviços prestados. Por meio dela será possível, por exemplo, identificar situações que merecem estudo mais aprofundado para a criação ou revisão de normas, bem como o aprimoramento das análises de impacto regulatório e dos critérios de priorização de projetos na Agenda Regulatória da ANTT.

Em relação ao transporte rodoviário de passageiros, os atributos considerados mais importantes no setor interestadual e internacional foram conforto, higiene e segurança. No serviço semiurbano, os mais mencionados foram conforto, segurança e pontualidade.

Usuários das rodovias federais concedidas indicaram, como mais importantes, os atributos relacionados à pista, à segurança e à sinalização. No caso do transporte ferroviário de passageiros, as questões consideradas mais relevantes foram as mesmas apontadas pelos usuários do transporte rodoviário: conforto, higiene e segurança. Já em relação às cargas transportadas pelas ferrovias, os aspectos operacionais dos serviços foram declarados como os mais relevantes pelos respondentes.

Pesquisa

A pesquisa foi aplicada pelo Instituto Análise em todo o território nacional para conhecer as opiniões e expectativas dos usuários a fim de aprimorar o planejamento das ações regulatórias e fiscalizatórias da Agência. Os resultados foram, então, consolidados pela ANTT este mês.

Transporte rodoviário de passageiros – Corresponde ao modal que representa a maior amostra da pesquisa de satisfação, com mais de 74 mil questionários aplicados. Ao todo, 212 empresas foram avaliadas, com entrevistas em 863 linhas.

Rodovias federais concedidas – As entrevistas com os usuários de rodovias federais concedidas foram realizadas pessoalmente com 7.184 condutores de veículos leves e 4.763 condutores de veículos pesados. Ao todo, foram avaliados 49 trechos de 14 concessionárias.

Fonte:  SETCERGS

7 erros de decoração para você nunca mais cometer na sua casa

Buscando ideias para decorar o apartamento novo ou renovar o estilo do antigo? Uma ajudinha extra sempre vai bem! Os editores da ELLEDecor.com  fizeram um compilado com os erros mais comuns quando o assunto é décor, e Donna mostra as melhores para você incorporar no seu dia a dia. Confira:

1) O móvel que é lindo (mas desconfortável ou inútil)

O famoso “bonitinho, mas ordinário”. Assim como aquele par de sapatos altíssimos que você comprou pois eram “incríveis e estavam em liquidação!” (mas não te seguram por mais de 15 minutos em pé), esse móvel maravilhoso e diferente acaba se tornando um elefante branco. O sofá da sala, por exemplo, pode não ser assinado por um designer consagrado, mas precisa, sim, trazer todo o conforto do mundo.

2) O móvel que segue modismos

Com certeza ele ficou lindo na vitrine da loja, na foto da revista e na casa da socialite russa que ganha milhões por mês (e muda a decoração da casa a cada quatro meses). Mas na sua casa?  Talvez voltar-se para o lado mais seguro na hora de investir em móveis novos – peças minimalistas ou clássicas – seja a garantia de um bom investimento a longo prazo.

 

3) A parede colorida que deu errado

Cuidado quando for pintar cômodos com cores que nunca testou – verde, vermelho, azul, rosa. Na lata, a cor tem um jeito, mas combinada à iluminação do ambiente e à textura da parede, o resultado pode ficar completamente diferente.

4) O “investimento dos sonhos” 

A mesa de jantar gigante que você nunca usa, pois sempre janta na cozinha. A televisão enorme na sala quando, ao chegar em casa, não quer nem pensar em ficar parado em frente a uma tela. Cuidado com os investimentos que você sonhava ter há alguns anos atrás – talvez seu estilo de vida tenha mudado, logo, seus desejos também.

5) O “faça você mesmo” que se tornou um desastre

“Mas no Pinterest parecia tão lindo…” Sim, temos certeza que sim. Mas talvez você não tenha nascido com o talento de Martha Stewart para o artesanato – e essa é a hora de apelar para o bom e velho ritual de ir na loja e comprar pronto.

 

6) O sofá branco

Lindo, maravilhoso, elegante, riquíssimo. Mas basta a primeira janta entre amigos para respingar uma (ou várias) gota de vinho e tudo estar acabado. Cuidado!

7) A obra de arte clichê

Exemplo clássico? Romero Britto. Suas criações estão espalhadas em quadros, canecas, bolsas, carteiras, acessórios para pets, capas de iPads, iPods e o que mais você puder imaginar. Que tal investir em algo mais especial na parede da sala, como o quadro de um artista novo ou até mesmo uma linda foto da família inteira reunida?

Fonte: Donna

Comissão aprova proibição de cobrança de pedágio em rodovias inacabadas

A Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 1774/11, do deputado Onofre Santo Agostini (PSD-SC), que proíbe a cobrança de pedágio em rodovias que ainda estejam em obras.

Pelo texto, a cobrança de pedágio somente poderá ter início após a conclusão de obras que estiverem em andamento.

A proposta foi aprovada na forma de substitutivo do relator, deputado Diego Andrade (PSD-MG), que incluiu no texto do projeto original a ressalva de que as obras ocasionais e emergenciais, destinadas à manutenção de trechos das rodovias, não estão na proibição da cobrança de pedágio.

Além disso, também foram excetuadas as obras de manutenção ou conservação habitual, desde que tenham data de início e conclusão programadas pelas empresas responsáveis por sua execução.

Segurança para trafegar

Para o deputado Diego Andrade, o pagamento de pedágio em rodovias somente se justifica quando os usuários têm à disposição boas condições de infraestrutura e segurança para trafegar. “A ideia é que se pague o pedágio só quando o trecho ficar pronto. Na realidade, o projeto não prevê que toda a rodovia deva ficar pronta [para que se possa realizar a cobrança], mas só pode cobrar pedágio do trecho que ficar pronto. Não podemos permitir que o cidadão pague pedágio por um trecho de rodovia inacabado. Não é justo com o cidadão. Ele se sente lesado.”

Diego Andrade comentou também sobre a necessidade de ampliação de Parcerias Público-Privadas (PPP), que possam manter as principais rodovias do País. “A maior parte das concessionárias conseguem, em parceria, manter as rodovias em melhores condições de uso. O que a gente precisa é manter um custo baixo para os pedágios – respeitando o cidadão -, e cobrar pedágio somente quando a obra estiver acabada.”

Tramitação

O projeto tramita em caráter conclusivo e segue para análise das comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Fonte: SETCESP

Página 1 de 212