Blog

Fiesp lança campanha contra o aumento de impostos

Manifesto ‘Não Vou Pagar o Pato’ colhe assinaturas pela internet.

Arte FragaA Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) lançou nesta segunda-feira (21) a campanha “Não Vou Pagar o Pato” contra o aumento de impostos no país.

Um pato amarelo gigante foi colocado na calçada do prédio da Fiesp, na Avenida Paulista, na cerimônia de lançamento da campanha, que contou com a participação de mais de 100 representantes da indústria, do comércio, dos serviços e da agricultura. 

A campanha é fruto da Frente Nacional contra o Aumento de Impostos, liderada pelo presidente da Fiesp, Paulo Skaf, e criada em 3 de setembro.

A ação conta com anúncios e comerciais na televisão, apontando o preço de produtos como geladeiras e celulares e o valor dos impostos em cada um.

Um site também foi criado para colher assinaturas contra o aumento da carga tributária no país.Na página é possível também fazer o download de imagens e materias de divulgação da campanha. No início da noite desta segunda, o site reunia mais de 25 mil assinaturas.

“Toda vez que precisa cobrir seus gastos, em vez de cortar despesas, o governo acha mais fácil passar a conta adiante, aumentando mais os impostos ou trazendo de volta a CPMF. Das duas uma: você fica reclamando, pensando “a vida é assim mesmo”, ou faz alguma coisa. Se escolheu a segunda opção, leia o texto na íntegra e assine o manifesto”, diz o texto da campanha. 

Fonte: IBPT

3 dicas de organização para melhorar sua produtividade

Entenda como o ambiente da sua empresa pode fazer diferença nos resultados

Pastas organizadas: perca menos tempo para buscar as coisas (Foto: thinkstock)

Um estudo feito na Inglaterra mostrou que as pessoas perdem, em média, dez minutos por dia procurando coisas perdidas, de livros à chave de casa. No trabalho, a estatística é ainda pior: estima-se que são perdidas cinco horas por semana em busca de itens no ambiente de trabalho.

Ter um espaço organizado não é só um detalhe. É também um benefício para a produtividade. “Duas prioridades para alcançar a objetividade e alavancar a produtividade são saber como organizar o espaço e o tempo”, diz Helo Henne, personal organizer profissional.

Confira abaixo as dicas de Helo para manter seu home-office ou escritório organizado:

1. Tenha um espaço

Se você costuma trabalhar em casa, é importante ter um espaço reservado para o ambiente de trabalho; “Tenha uma cadeira ergonométrica ao invés de usar a cadeira da cozinha. Seu escritório deve conter seus próprios móveis”, diz Helo. Tenha um espaço com pastas organizadas e gaveteiros para não misturar itens domésticos com negócios. “Hoje, já existem caixas apropriadas para usar em home-office”, diz.

2. Acostume-se com uma agenda

Tempo bem usado impacta diretamente na produtividade. Se você anota todos os compromissos em pedaços de papel e eventualmente se esquece deles, é hora de ter uma agenda para se organizar. “Não se deixe confundir com tarefas domésticas, pois você acaba não conseguindo executar seus serviços, além de diminuir sua produtividade. É prioritário lembrar que você está trabalhando, apesar de seu ambiente ser sua casa”, diz Helo. Hoje, é fácil ter uma agenda virtual, disponível onde estiver.

3. Cada coisa em seu lugar

Um dos principais problemas é perder as coisas ou até jogar no lixo algum papel importante. Por isso, a dica é manter cada coisa em seu devido lugar. “Tudo tem que estar estrategicamente exposto para poder encontrar rapidamente o que precisa. Tenha um plano de organização de armários, pastas e arquivos”, afirma. Crie categorias com etiquetas e cores para identificar os documentos. Se você armazena produtos no escritório, é importante ter também um espaço garantido para o estoque.

Fonte: Globo.com

TOP 5: saiba como decorar cozinhas de diferentes estilos

Uma boa dose de criatividade pode transformar o ambiente em um dos mais importantes da casa

Vanessa Bohn / Bohn Fotografias

Clean, descontraída ou tradicional:  a cozinha pode assumir um papel protagonista na decoração da casa com qualquer estilo, se transformando no local para receber amigos e curtir bons momentos.

Confira projetos de diferentes estilos, tamanhos e bolsos e para criar o seu próprio ambiente.

Amigos em casa

Para receber amigos, o ideal é integrar a cozinha com outros ambientes e obter ter mais espaço.  O jovem casal de proprietários deste apartamento no bairro Petrópolis, na foto acima, queria cozinhar em companhia dos convidados. Para isso, a arquiteta Alessandra Bonotto Hoffmann Paim uniu o ambiente com a sala de estar e criou uma ilha gourmet com bar e bancada, utilizando uma churrasqueira pré-moldada para facilitar a instalação. Por se tratar de um imóvel no último andar, a instalação da churrasqueira foi mais fácil. Mas mesmo em outros pavimentos, com planejamento, é possível acrescentar churrasqueira à cozinha.

Rodrigo Yoshioka / Divulgação

Rodrigo Yoshioka / Divulgação

Colorido para alegrar

Foi-se o tempo em que o único caminho possível para a cozinha eram armários brancos ou em tons pastel. As propostas atuais vão de combinações com surpreendentes azuis até os quentes laranjas e vermelhos. Com as mudanças comportamentais do fim do século 20 e a reorganização da estrutura familiar, a cozinha se transformou, sendo a cor um ponto vital na atualização do ambiente. Panelas, bancadas, eletrodomésticos, pisos e paredes coloridos trazem irreverência e alegria à cozinha, renovando o status de “coração da casa”.

Na foto, o alaranjado tangerine tango, confere vivacidade para a cozinha no Loft do Executivo, do escritório de Porto Alegre Edgar Casagranda Arquitetura, na Casa Cor em São Paulo.

cozinha 5

Tradição renovada

A cozinha pode ser moderna e ainda ter alma e memória. Para isso, objetos clássicos e móveis que você herdou da família  podem cair bem. O projeto Cozinha da Vovó dos arquitetosJessica de Carli e Felipe Azevedo traz essa visão da cozinha familiar, com memória afetiva, sem perder a modernidade.  Eles usaram o porcelanato com aparência rústica e rejunte de pedra vulcânica no chão, dois tipos de papel de parede, azulejos pintados à mão e bancos com o clássico enconsto de palhinha.

Tadeu Vilani

Tadeu Vilani

Descontração em madeira

Para deixar o ambiente descontraído, abra mão da cerâmica e aposte na marcenaria e em objetos com personalidade. Na cozinha desta jovem produtora de moda, a marcenaria sob medida e o piso de cimento deu estilo moderno ao ambiente. A mesa amarela e o quadro de recados dão personalidade ao local.

cozinha 4

União de espaços

Cozinhas integradas às salas de estar estão em alta e são ótimas para receber convidados, mas também têm seus problemas. O cheiro da comida ou ainda os barulhos podem incomodar quem está no outro cômodo. Para solucionar essas questões, os arquitetosDaniela Zaffari e Geraldo Collares, do escritório Zaffari & Faria Arquitetura, optaram por uma cozinha integrada com porta de correr neste apartamento da Bela Vista, em Porto Alegre.

As divisórias deslizantes da cozinha têm frente de vidro e se integram perfeitamente ao décor geral. Auxiliam a ter o melhor dos dois mundos, integrando a cozinha quando necessário ou isolando-a e permitindo que as funções necessárias sejam feitas longe dos olhos dos visitantes

Fonte: Casa&Cia

Câmara aprova porte de arma para agentes de trânsito

Porte de arma para agentes de trânsitoA Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania aprovou proposta que inclui os agentes de trânsito entre as categorias profissionais que podem portar arma de fogo em serviço. Como tramitava em caráter conclusivo, a proposta foi considerada aprovada pela Câmara, a não ser que haja recurso para votação em Plenário.

O texto foi aprovado na forma desubstitutivo da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado ao Projeto de Lei 3624/08, do ex-deputado Tadeu Filippelli (DF).

O relator da proposta, deputado Alexandre Leite (DEM-SP), demonstrou preocupação quanto ao porte de armas, que poderia pôr os agentes em risco. “Mas na CCJ não podemos mudar o projeto, e a proposta é constitucional”, disse, ao recomendar a aprovação.

Leite ressaltou que o texto condiciona o porte de arma ao interesse do ente federado, então o porte ainda depende de os estados e municípios regulamentarem sua concessão. A permissão também fica condicionada à formação para o porte e a exames psicológicos, o que deve ser regulamentado e supervisionado pelo Ministério da Justiça.

Agentes de segurança

Desde a emenda consticucional 82, os agentes de trânsito passaram a constar do capítulo de segurança da Constituição. Esse foi um dos argumentos usados para justificar a proposta. “Eles são os únicos profissionais da área de segurança que não têm porte de armas, e se sentem em perigo por essa diferenciação”, defendeu o deputado João Campos (PSDB-GO), autor de uma proposta que tramitou apensada ao texto aprovado.

O relator ressaltou que o Código de Trânsito Brasileiro (Lei 9.503/97) prevê que agentes de trânsito só devem fazer abordagens a veículos acompanhados da Polícia Militar, e que essa sim tem treinamento para o porte de arma. “A proposta nasceu de uma situação no Distrito Federal, em que o Detran faz abordagens sem esse acompanhamento, o que é temerário”, disse.

O deputado Raul Jungman (PPS-PE) criticou a medida, por entender que a proposta pode provocar uma escalada no número de arsenais em pequenas cidades brasileiras. “Os arsenais da Polícia Civil e das PMs já são alvo de extravio e roubo de armas, imagine esses novos arsenais?”, ponderou.

Defesa

Na justificativa do projeto, Filippelli considerou que a fiscalização do trânsito envolve grande risco. “É necessário, portanto, conceder o porte de meios que permitam a realização da defesa pessoal dos servidores envolvidos nessas missões. Não vemos justificativa plausível para que esse direito lhes seja negado, uma vez que as atividades por eles desenvolvidas em tudo se assemelham a outras categorias que realizam trabalhos de fiscalização, às quais já é concedido o porte de arma, como os integrantes das carreiras de auditoria da Receita Federal.”

A proposta altera o Estatuto do Desarmamento (Lei 10.826/03), que autoriza o porte de arma para diversas categorias, entre elas: policiais (federais, civis, rodoviários, ferroviários, militares, bombeiros militares), integrantes das Forças Armadas, guardas municipais, guardas prisionais, auditores da Receita Federal e auditores fiscais do Trabalho.

Com informações da Agência Câmara

Fonte: Portal do Trânsito 

Preço do etanol apresenta queda em 12 Estados

Valor do biocombustível sobe em outros 13 e no Distrito Federal e permanece estável no Amapá; combustível está mais competitivo que a gasolina em seis unidades federativas

etanolA análise da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) apontou que os preços do etanol hidratado praticados nos postos brasileiros caíram em 12 Estados, subiram em outros 13 e no Distrito Federal e ficaram estáveis no Amapá nesta semana.

Em um mês, os preços recuaram em 16 Estados, subiram em nove e permaneceram congelados em Alagoas e no Distrito Federal.

No principal Estado consumidor, São Paulo, a cotação sofreu decréscimo de 0,31% na semana, para R$ 1,910. No período de um mês, acumula queda de 1,80%.

Na semana, o maior avanço das cotações foi registrado em Goiás (18,75%), enquanto o recuo mais expressivo ocorreu em Mato Grosso, com queda de 1,57%.

No mês, a maior baixa foi em Minas Gerais, com recuo de 3,08%, e a maior alta ocorreu em Goiás (16,83%).

No Brasil, o preço mínimo registrado para o etanol foi de R$ 1,479 o litro, no Estado de São Paulo, e o máximo foi de R$ 3,61 o litro, no Amazonas. Na média, o menor preço foi de R$ 1,910 o litro, em São Paulo. O maior preço médio foi verificado no Acre, de R$ 3,039 o litro.

Segundo dados da agência compilados pelo AE-Taxas, pela 18ª semana consecutiva, o etanol permaneceu competitivo em Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná e São Paulo. Os Estados são ainda os maiores produtores de etanol do País. Nas outras unidades derativas a gasolina permaneceu mais competitiva.

Segundo o levantamento, o etanol equivale a 69,22% do preço da gasolina em Goiás. Em Mato Grosso, a relação está em 59,25%; em Mato Grosso do Sul, em 68,75%; em Minas Gerais, em 64,90%; no Paraná, em 65,76%; e em São Paulo, em 61,49%. A gasolina está mais vantajosa principalmente em Roraima, onde o combustível de cana-de-açúcar custa o equivalente a 85,36% do preço do derivado do petróleo. A relação indica favorecimento ao biocombustível quando está abaixo de 70%.

Fonte: Transporta Brasil