Blog

Congresso mantém veto que isenta óleo diesel do PIS/Cofins

Caso o suspensão fosse derrubada, custo aos cofres públicos poderia chegar a R$ 64,6 bilhões até 2019, segundo estimativas do governo

destaque-diesel-s50O Congresso Nacional, nesta quarta-feira (23/9), decidiu manter o veto que torna isento o óleo diesel da contribuição do PIS (Programa de Integração Social) e da Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social).

A isenção ao diesel foi vetada pela presidente Dilma Rousseff argumentando que, além de resultar em renúncia de arrecadação, o item não abalizava qualquer compensação financeira. Segundo o governo, o custo seria de R$ 64,6 bilhões aos cofres públicos até 2019.

O impacto considerado pelo governo se esse veto fosse derrubado era de R$ 135 bilhões até 2035. Para derrubar um veto presidencial, são necessários 257 votos contra na Câmara e 41 no Senado.
Na avaliação do Executivo, uma derrota seria considerada um cenário preocupante, a ponto de comprometer todo o ajuste fiscal.

Fonte: Transporta Brasil

BNDES quer investir R$ 234 bi em projetos de mobilidade urbana até 2027

Cifra que corresponde a 4,8% do PIB seria encaminhada para as 15 maiores regiões metropolitanas do Brasil

predio_bndes

O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) prevê investimentos de R$ 234 bilhões em projetos de mobilidade urbana nas 15 maiores regiões metropolitanas do Brasil por ano até 2027. A cifra corresponde a 4,8% do PIB.

Utilizando dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o BNDES levantou ainda em 2014 dados dos locais pesquisados e calculou isoladamente as necessidades de mobilidade da população, considerando principalmente densidade populacional e movimentação, além das previsões de crescimento populacional, os sistemas existentes, os projetados ou previstos.

As regiões metropolitanas consideradas somam 71,2 milhões de habitantes e a de São Paulo é a maior, com 19,7 milhões. O crescimento dessas regiões foi de 2% nos períodos de 2000 a 2005 e de 2005 a 2010. Daqui cinco anos o número deve chegar a um acréscimo de 1,2%.

Os valores não consideram material rodante, o que representará aproximadamente R$ 30,3 bilhões. Só a região metropolitana de São Paulo este tópico consumiria R$ 83.494 milhões, valores equivalentes a 5% do PIB paulista.

Entre 2004 e 2014, o BNDES investiu 0,04% do PIB em mobilidade urbana, além de 0,2% em saneamento básico, 0,8% em energia elétrica e mais 0,5% no setor de telecomunicações.

Fonte: Transporta Brasil

Fiesp lança campanha contra o aumento de impostos

Manifesto ‘Não Vou Pagar o Pato’ colhe assinaturas pela internet.

Arte FragaA Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) lançou nesta segunda-feira (21) a campanha “Não Vou Pagar o Pato” contra o aumento de impostos no país.

Um pato amarelo gigante foi colocado na calçada do prédio da Fiesp, na Avenida Paulista, na cerimônia de lançamento da campanha, que contou com a participação de mais de 100 representantes da indústria, do comércio, dos serviços e da agricultura. 

A campanha é fruto da Frente Nacional contra o Aumento de Impostos, liderada pelo presidente da Fiesp, Paulo Skaf, e criada em 3 de setembro.

A ação conta com anúncios e comerciais na televisão, apontando o preço de produtos como geladeiras e celulares e o valor dos impostos em cada um.

Um site também foi criado para colher assinaturas contra o aumento da carga tributária no país.Na página é possível também fazer o download de imagens e materias de divulgação da campanha. No início da noite desta segunda, o site reunia mais de 25 mil assinaturas.

“Toda vez que precisa cobrir seus gastos, em vez de cortar despesas, o governo acha mais fácil passar a conta adiante, aumentando mais os impostos ou trazendo de volta a CPMF. Das duas uma: você fica reclamando, pensando “a vida é assim mesmo”, ou faz alguma coisa. Se escolheu a segunda opção, leia o texto na íntegra e assine o manifesto”, diz o texto da campanha. 

Fonte: IBPT

3 dicas de organização para melhorar sua produtividade

Entenda como o ambiente da sua empresa pode fazer diferença nos resultados

Pastas organizadas: perca menos tempo para buscar as coisas (Foto: thinkstock)

Um estudo feito na Inglaterra mostrou que as pessoas perdem, em média, dez minutos por dia procurando coisas perdidas, de livros à chave de casa. No trabalho, a estatística é ainda pior: estima-se que são perdidas cinco horas por semana em busca de itens no ambiente de trabalho.

Ter um espaço organizado não é só um detalhe. É também um benefício para a produtividade. “Duas prioridades para alcançar a objetividade e alavancar a produtividade são saber como organizar o espaço e o tempo”, diz Helo Henne, personal organizer profissional.

Confira abaixo as dicas de Helo para manter seu home-office ou escritório organizado:

1. Tenha um espaço

Se você costuma trabalhar em casa, é importante ter um espaço reservado para o ambiente de trabalho; “Tenha uma cadeira ergonométrica ao invés de usar a cadeira da cozinha. Seu escritório deve conter seus próprios móveis”, diz Helo. Tenha um espaço com pastas organizadas e gaveteiros para não misturar itens domésticos com negócios. “Hoje, já existem caixas apropriadas para usar em home-office”, diz.

2. Acostume-se com uma agenda

Tempo bem usado impacta diretamente na produtividade. Se você anota todos os compromissos em pedaços de papel e eventualmente se esquece deles, é hora de ter uma agenda para se organizar. “Não se deixe confundir com tarefas domésticas, pois você acaba não conseguindo executar seus serviços, além de diminuir sua produtividade. É prioritário lembrar que você está trabalhando, apesar de seu ambiente ser sua casa”, diz Helo. Hoje, é fácil ter uma agenda virtual, disponível onde estiver.

3. Cada coisa em seu lugar

Um dos principais problemas é perder as coisas ou até jogar no lixo algum papel importante. Por isso, a dica é manter cada coisa em seu devido lugar. “Tudo tem que estar estrategicamente exposto para poder encontrar rapidamente o que precisa. Tenha um plano de organização de armários, pastas e arquivos”, afirma. Crie categorias com etiquetas e cores para identificar os documentos. Se você armazena produtos no escritório, é importante ter também um espaço garantido para o estoque.

Fonte: Globo.com

TOP 5: saiba como decorar cozinhas de diferentes estilos

Uma boa dose de criatividade pode transformar o ambiente em um dos mais importantes da casa

Vanessa Bohn / Bohn Fotografias

Clean, descontraída ou tradicional:  a cozinha pode assumir um papel protagonista na decoração da casa com qualquer estilo, se transformando no local para receber amigos e curtir bons momentos.

Confira projetos de diferentes estilos, tamanhos e bolsos e para criar o seu próprio ambiente.

Amigos em casa

Para receber amigos, o ideal é integrar a cozinha com outros ambientes e obter ter mais espaço.  O jovem casal de proprietários deste apartamento no bairro Petrópolis, na foto acima, queria cozinhar em companhia dos convidados. Para isso, a arquiteta Alessandra Bonotto Hoffmann Paim uniu o ambiente com a sala de estar e criou uma ilha gourmet com bar e bancada, utilizando uma churrasqueira pré-moldada para facilitar a instalação. Por se tratar de um imóvel no último andar, a instalação da churrasqueira foi mais fácil. Mas mesmo em outros pavimentos, com planejamento, é possível acrescentar churrasqueira à cozinha.

Rodrigo Yoshioka / Divulgação

Rodrigo Yoshioka / Divulgação

Colorido para alegrar

Foi-se o tempo em que o único caminho possível para a cozinha eram armários brancos ou em tons pastel. As propostas atuais vão de combinações com surpreendentes azuis até os quentes laranjas e vermelhos. Com as mudanças comportamentais do fim do século 20 e a reorganização da estrutura familiar, a cozinha se transformou, sendo a cor um ponto vital na atualização do ambiente. Panelas, bancadas, eletrodomésticos, pisos e paredes coloridos trazem irreverência e alegria à cozinha, renovando o status de “coração da casa”.

Na foto, o alaranjado tangerine tango, confere vivacidade para a cozinha no Loft do Executivo, do escritório de Porto Alegre Edgar Casagranda Arquitetura, na Casa Cor em São Paulo.

cozinha 5

Tradição renovada

A cozinha pode ser moderna e ainda ter alma e memória. Para isso, objetos clássicos e móveis que você herdou da família  podem cair bem. O projeto Cozinha da Vovó dos arquitetosJessica de Carli e Felipe Azevedo traz essa visão da cozinha familiar, com memória afetiva, sem perder a modernidade.  Eles usaram o porcelanato com aparência rústica e rejunte de pedra vulcânica no chão, dois tipos de papel de parede, azulejos pintados à mão e bancos com o clássico enconsto de palhinha.

Tadeu Vilani

Tadeu Vilani

Descontração em madeira

Para deixar o ambiente descontraído, abra mão da cerâmica e aposte na marcenaria e em objetos com personalidade. Na cozinha desta jovem produtora de moda, a marcenaria sob medida e o piso de cimento deu estilo moderno ao ambiente. A mesa amarela e o quadro de recados dão personalidade ao local.

cozinha 4

União de espaços

Cozinhas integradas às salas de estar estão em alta e são ótimas para receber convidados, mas também têm seus problemas. O cheiro da comida ou ainda os barulhos podem incomodar quem está no outro cômodo. Para solucionar essas questões, os arquitetosDaniela Zaffari e Geraldo Collares, do escritório Zaffari & Faria Arquitetura, optaram por uma cozinha integrada com porta de correr neste apartamento da Bela Vista, em Porto Alegre.

As divisórias deslizantes da cozinha têm frente de vidro e se integram perfeitamente ao décor geral. Auxiliam a ter o melhor dos dois mundos, integrando a cozinha quando necessário ou isolando-a e permitindo que as funções necessárias sejam feitas longe dos olhos dos visitantes

Fonte: Casa&Cia

Página 4 de 24« Primeira...23456...1020...Última »