Blog

Decoração: dicas para manter os móveis planejados

Ter uma casa decorada com móveis planejados é o sonho de todo mundo. Mas é preciso estar atento, pois para sua manutenção é necessário cuidados diários

O uso excessivo de água, por exemplo, é prejudicial aos móveis que tem a madeira como matéria-prima (Divulgação)

O sonho de consumo de qualquer pessoa é ter seu apartamento ou casa devidamente decorados com móveis planejados, não é mesmo? Um sonho caro, que representa um preço alto demais para acabar em pesadelo na hora de mantê-los. Por isso, é preciso tomar cuidados básicos na hora de fazer a manutenção diária dos móveis.

Bruno Garcia Athayde, arquiteto da empresa do segmento de móveis planejados Simonetto, explica que a primeira coisa a ser feita pelos consumidores é fazer uma pesquisa de mercado e procurar por empresas idôneas e com experiência no ramo.

No caso dos serviços de marcenaria, o barato pode sair caro na hora de fazer a manutenção dos móveis. Além do mais, não é somente a conservação das áreas em madeira que precisam receber a atenção necessária, mas os acessórios também, afirma Bruno.

O arquiteto abre um parêntese para explicar a diferença entre móveis modulados e planejados: enquanto o primeiro tem suas peças produzidas em séries pelas fabricantes, os planejados obedecem a projetos arquitetônicos exclusivos.

Cuidados

Os móveis devem ser mantidos sempre longe de umidade. Portanto, em cozinhas, banheiros e lavanderias, o cuidado com os móveis deve ser redobrado.

Caso algum líquido, de qualquer espécie, caia sobre o móvel, é preciso secar o local imediatamente. Também é preciso evitar a incidência de raios solares diretamente nos móveis. Com o tempo, eles poderão alterar a cor original, apresentando manchas e alterando as características do produto.

“É preciso cuidado com agentes internos e externos. A umidade, por exemplo, agride muito os móveis, cria um mal cheiro”, observa Bruno. Sempre que possível, certifique-se de que as instalações hidráulicas do ambiente onde o móvel está instalado esteja correta, a fim de garantir que não ocorram vazamentos. A prevenção, aqui, evita futuras dores de cabeça.

Dicas de limpeza

Nos Armários, portas e tampos amadeirados

1. Limpe seus móveis regularmente. A poeira acumulada deixa a superfície sem brilho e pode, com o tempo, trazer um aspecto feio ao móvel.

2. Para a limpeza, utilize sempre um pano levemente umedecido e nunca molhado. Em seguida, seque bem o local com um pano seco.

3. Para retirar manchas mais resistentes, umedeça o pano com sabão neutro (não-alcalino) e água, ou álcool e água. Depois, seque bem com um pano seco.

4. Sempre que lustrar seu móvel, faça movimentos que acompanhem a textura natural dele. Isso irá evitar manchas.

5. Só utilize lustra-móveis à base de silicone, pois criam uma camada protetora na superfície. Os coloridos e as ceras podem causar manchas nos móveis.

Vidros

1. Se o móvel possui divisões em vidro, limpe-os sempre com um pano apropriado com água e detergente neutro.

2. Se optar pela utilização de limpa-vidros, não pulverize o produto diretamente na superfície. O líquido pode escorrer e manchar o vidro e acessórios.

Puxadores

1. Devem ser limpos com panos macios, levemente umedecidos com água. Em seguida, passe sempre o pano seco para dar acabamento.

2. Nunca utilize nenhum tipo de produto de limpeza ou esponja e outro material abrasivo, pois eles podem riscar os puxadores.

Dobradiças e corrediças

1. Conserve-as sempre limpas apenas com pano seco, pois as dobradiças possuem uma camada protetora à base de óleo. O acúmulo de gordura (derivada de frituras), poeira ou umidade, pode prejudicar o bom funcionamento ou ocasionar oxidações ao produto.

2. Além do pano seco, você pode usar um pincel de cerdas macias para retirar a sujeira dos cantos mais difíceis.

Peças esmaltadas e de inox

1. Estas peças deverão ser higienizadas com um pano levemente úmido e sabão neutro. Você também pode usar desengordurantes, mas sempre sem cloro ou derivados.

2. Ao término da limpeza normal, poderá ser aplicado algum produto específico para a conservação desse tipo de material.

Fonte: Crítica 

Uso de biodiesel reduz emissão de gases do efeito estufa e melhora qualidade de vida

O uso do chamado B20 Metropolitano gera impactos nos âmbitos social, econômico e ambiental

Com o objetivo de sensibilizar os prefeitos das 40 maiores cidades brasileiras para o uso de B20 – ou seja, a mistura de 20% de biodiesel no diesel que abastece a frota de ônibus desses municípios  –, ocorreu, nesta quinta-feira (21), em Brasília (DF), o seminário B20 Metropolitano: Mobilidade Sustentável para as cidades brasileiras. O seminário destacou os benefícios sociais, econômicos e ambientais do uso do biocombustível.

Atualmente, mistura-se 7% de biodiesel, o chamado B7, em todo o diesel terrestre comercializado no Brasil, em cumprimento à Lei 13.033, que torna a mistura obrigatória.

Redução na emissão de gases e qualidade de vida

Ser limpo, renovável e isento de enxofre é um dos benefícios do biodiesel. Por exemplo, a utilização do B7 significa 7,3 milhões de toneladas de emissões de CO2 evitadas ao ano. Com o B20 Metropolitano, cerca de 577,2 mil toneladas a mais deixariam de ser emitidas.

A adoção do B20 impactaria diretamente na qualidade de vida das pessoas. De acordo com Samya de Lara Pinheiro, meteorologista, doutora em Medicina pela USP e pela Escola de Saúde Pública de Harvard, os efeitos da poluição no ser humano não podem mais ser caracterizados como mais suscetíveis em crianças e idosos. Toda a população, principalmente a dos grandes centros e as menos favorecidas, é afetada.

Segundo dados da OMS (Organização Mundial da Saúde) de 2010, a poluição aparece entre os dez principais fatores de risco de morte no mundo. Samya destacou que 3,5 milhões de mortes ocorrem, por ano, devido à poluição. “Em São Paulo, por exemplo, estudos mostraram que, em 2011, foram 17,5 mil mortes e R$ 246 milhões representaram gastos públicos com hospitais e internações. Não existe limiar seguro para a saúde humana.”

Diesel mais barato

Com a mistura B20, em regiões produtoras do biodiesel, como o Sul e o Centro-Oeste, o óleo diesel comercializado pelas distribuidoras ficaria cerca de R$ 0,09 mais barato. O cálculo considera a margem Petrobras (R$ 0,02/litro) e a margem estimada de distribuição (R$ 0,05/litro).

Conforme Aurélio Amaral, superintendente de Abastecimento da ANP (Agência Nacional do Petróleo), a mudança para o B20 requer estudos e análises dos impactos tributários. “É necessário discutir com tranquilidade e maturidade todas essas questões e analisar seus efeitos colaterais para que possamos dar esse salto. Em uma ideia geral, o uso do biodiesel é sempre bem-vindo, mas é preciso analisar como ele entra de uma forma equilibrada no sistema de distribuição de combustíveis no Brasil”, ressaltou.

Fortalecimento da agricultura familiar e geração de renda

Marco Aurélio Pavarino, coordenador-geral de Biocombustíveis da Secretaria da Agricultura Familiar do MDA (Ministério do Desenvolvimento Agrário), destacou os benefícios que a produção do biodiesel traz à pequena agricultura.

Segundo Pavarino, em 2008, o número de pessoas beneficiadas pelo Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel era de 85.968. Em 2013, o índice saltou para 251.262. Se, em 2008, a receita anual por pessoa era de R$ 9.650,00; em 2013, subiu para mais de R$ 34 mil. “Em 2014, foram movimentados, aproximadamente, R$ 3,2 bilhões em aquisição de matéria-prima da agricultura familiar para a produção do biodiesel”, destacou.

Para Donizete Tokarski, diretor superintendente da Ubrabio (União Brasileira do Biodiesel e Bioqueresone), o Brasil tem todas as condições para adotar o B20. “Principalmente nas regiões metropolitanas. Hoje, o país produz quatro bilhões de litros de biocombustível com a possibilidade de produzir o dobro. Os veículos não precisam ser adaptados para receber esse tipo de combustível. Basta tomarmos uma decisão”, salientou.

Além dos prefeitos, participaram do evento autoridades do governo federal e instituições de ensino e pesquisa vinculadas aos setores de mobilidade urbana, meio ambiente e saúde pública.

Thays Puzzi

Agência CNT de Notícias

Fonte: CNT

Lei dos caminhoneiros pode trazer aumento dos valores de pedágio

caminhao no pedagio

O presidente da EcoRodovias, Marcelino Seras, apontou para a possibilidade de as concessionárias de rodovias afetadas pela mudança de pedágio sobre o eixo suspenso dos caminhões, em decorrência da entrada em vigor da nova lei dos caminhoneiros, obterem o reequilíbrio econômico-financeiro de seus contratos antes das datas de aniversário.

Em vigor desde 17 de abril, a lei isentou os caminhões vazios de pagamento de pedágio sobre os eixos suspensos dos veículos pesados, o que deve afetar a receita das concessionárias. “Há uma pressão das concessionárias federais para que se antecipe o reconhecimento desse desequilíbrio em função da lei dos caminhoneiros e acreditamos que possa ter no curto prazo todas as rodovias restabelecidas com relação a esse desequilíbrio”, disse, na semana passada, durante teleconferência com analistas e investidores.

Até agora, a única concessionária que já obteve o reequilíbrio por causa da lei dos caminhoneiros foi a Eco101, empresa controlada pela EcoRodovias e que administra o trecho da BR-101 que passa pelo Espírito Santo. A empresa foi autorizada a elevar suas tarifas de pedágio em 18,61% a partir desta semana, na data que se realiza o reajuste anual. Conforme a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), do índice total, 8,13% se referem à aplicação do repasse da inflação pelo IPCA e outros 9% se referem ao reequilíbrio pela lei dos caminhoneiros. A diferença para o montante total se refere a um outro reequilíbrio, relacionado à adequação de custos incluindo a conservação e operação de trecho urbano, operação semafórica, e substituição das balanças móveis.

Das estradas concedidas à iniciativa privada, apenas as rodovias paulistas seguem cobrando pedágio pelo eixo suspenso dos caminhões. A agência reguladora local, a Artesp, decidiu pela não aplicabilidade da lei nas concessões estaduais.

Fonte: Blog do Caminhoneiro 

ANTT realiza sessão presencial sobre tabela de referência de frete rodoviário nesta sexta-feira

Interessados ainda podem encaminhar as sugestões por meio de formulário eletrônico no site da Agência

​ANTT realiza sessão presencial sobre tabela de referência de frete rodoviário nesta sexta-feira

Foto: Arquivo CNT

A ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) realizará, nesta sexta-feira (29), sessão presencial sobre a tabela de referência do frete rodoviário. O objetivo é colher subsídios e informações para editar a resolução que tratará da metodologia dos parâmetros de referência para cálculo dos custos.

A sessão presencial será realizada das 14h às 17h30min, no Auditório da sede da Agência, em Brasília (DF).

Esta sexta também é o prazo final para envio de contribuições à Audiência Pública, aberta para discutir o tema com a população.

Mais informações podem ser obtidas junto à ANTT. Para saber mais, clique aqui.

Natália Pianegonda

Fonte: Agência CNT

Quer juntar sala e escritório no mesmo ambiente? Veja dicas

Para otimizar espaço, os dois ambientes podem ser facilmente combinados

Em uma casa pequena, otimizar espaço é fundamental e coligar dois ambientes em uma mesma área se torna essencial. O internauta Everson Blanco, que pretende colocar uma mesa de escritório na sala de estar , pediu ideias e dicas para fazer a mudança sem que a sua sala de 33 metros quadrados pareça apertada.

 Foto: Divulgação

Para interligar ambientes, uma boa dica é saber demarcá-los

A arquiteta Pilar Hernandez, do escritório AHPH Arquitetura e Interiores, identificou algumas mudanças que Everson pode fazer em sua sala e dar ainda mais vida ao local. Confira:

Dúvida: Por favor me ajudem a decidir quais são as cores, decoração e iluminação ideais para a minha sala de jantar/estar de 33 metros quadrados. Penso em arranjar um espaço em frente à porta de entrada (ou outro espaço da sala) para colocar uma pequena mesa e cadeira de escritório.

 Foto: Everson / vc repórter / divulgação

Para a sala de Everson, a mesa de escritório pode ser colocada em baixo da escada

Resposta: No espaço pode-se trabalhar um pouco no layout, ou seja, mudando pequenos detalhes. Na foto, o ambiente parece estar todo amontoado, por isso tiraríamos a mesa do lado das poltronas, deixando livre o espaço para que a peça da TV fique mais leve e valorizada. Também podemos retirar o vaso de planta no canto que se forma do sofá com as poltronas e no lugar dele colocaríamos essa mesa ou outra. Assim, o ambiente ficará mais leve.

Na área de jantar, podemos colocar a mesa ‘de comprido’, ou seja, encostando uma das pontas na parede onde está a peça de TV. Pode ser colocado um espelho sem moldura na parede a partir da altura do tampo da mesa, aproximadamente com 1,20m de altura. Para que a sala não fique poluída visualmente, pode retirar os quadros entre as janelas.

 Foto: Divulgação

Almofadas estampadas e coloridas clareiam o ambiente

O lugar certo de colocar uma mesa para um pequeno escritório seria embaixo da escada. Opte por uma peça bem leve que sirva também de um aparador para o jantar caso se faça necessário. Para completar, aposte em uma cadeira com estilo ao invés de uma tradicional de escritório.

A parede onde podemos usar cor seria onde está o espelho e a peça de TV. Uma sugestão é a Z008 FECT da SUVINIL (cor amarela), que valoriza os detalhes em madeira da escada e das janelas. Para as outras paredes, você pode usar a cor branco- gelo. O teto pode ser pintado com branco neve.

 Foto: Divulgação

O tapete colorido dá vida à sala de TV

Para as cadeiras de jantar você pode trabalhar com cores claras, como bege ou até mesmo branco, assim o sofá pode continuar com esse tom ou outro também escuro. Para as poltronas podemos trabalhar com um tecido estampado com listras ou flores, que vão dar vida e movimento ao ambiente.

A iluminação é muito importante e marca claramente o objetivo de cada área. Como a sala de estar é um ambiente de dupla função, ou seja, sala de estar e de TV, o ideal é ter uma luz central. Esta pode ser uma luminária com luz amarela do tipo Paflon (reta e branca), que deixa o ambiente mais aconchegante. Na mesa de canto, o ideal é você trabalhar com uma luminária de mesa com lâmpada amarela. Aposte sempre em peças com design reto. Na sala de jantar, escolha uma luminária pendente na cor branca com lâmpada amarela centralizada no tampo da mesa.

Lembre que uma boa decoração depende do equilíbrio das cores e cada peça tem que ter uma função.

 Foto: Divulgação

A iluminação certa faz toda a diferença no ambiente; aqui a escolhida clareia e traz aconchego

 

 Foto: Divulgação

Dependendo do ambiente, cadeiras em tons escuros podem ser a melhor escolha

 Foto: Divulgação

Para a sala de jantar, o lustre central é uma boa opção

 Foto: Divulgação

A iluminação do ambiente deve ser pensada levando em conta a função de cada área

Fonte: Vida & Estilo Terra

Página 5 de 13« Primeira...34567...10...Última »