Blog

Caminhoneiros prometem realizar nova greve em abril

xxxx

Caminhoneiros autônomos anunciaram que vão entrar em greve em 23 de abril se, até lá, o governo não criar uma tabela com valores mínimos para pagamento de frete.

A posição dos líderes da categoria foi tirada após um encontro na tarde de ontem, quinta-feira (26) em Brasília na sede da ANTT (Agência Nacional de Transporte Terrestre) em que representantes dos motoristas, de empresas e do governo debatiam sobre as propostas apresentadas pelos caminhoneiros e aceitas pelo governo para parar com a greve do setor no mês passado.

A reunião foi tensa. Prevista para durar duas horas, teve o dobro do tempo. O senador Blairo Maggi (PR-MT) foi vaiado em duas ocasiões após pedir a palavra para falar contra o tabelamento proposto pela categoria. Blairro foi dono da Amaggi, empresa do setor do agronegócio, que contrata os caminhoneiros para fazer o frete.

Os caminhoneiros queriam que a reunião desta tarde já definisse a tabela mínima, que foi elaborada por um grupo de trabalho criado após a greve e que reunia representantes do governo, dos caminhoneiros e dos empresários. O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Miguel Rosseto, defendia que a tabela fosse apenas uma referência. Os caminhoneiros se recusaram a referendar a tabela de referência e ameaçaram então começar uma greve ainda nesta semana.

A alegação do governo para não criar a tabela mínima é que seria necessário garantir fundamento jurídico para evitar que os embarcadores derrubem a decisão na Justiça. Para fazer isso, os caminhoneiros deram um prazo ao governo até o dia 22 de abril para o governo se posicionar.

Os representantes também conseguiram do governo a garantia da renegociação das dívidas pela compra dos caminhões. Rosseto se comprometeu a colocar numa Medida Provisória um texto permitindo que autônomos e microempresa passem o valor que estão devendo de prestações de contratos de financiamento feitos com recursos do BNDES para o fim dos contratos, evitando que os bancos tomem os caminhões.

Bolha

O ministro dos Transportes, Antônio Carlos Rodrigues, afirmou que o governo ainda não decidiu se vai fazer uma tabela referencial ou mínima. Segundo ele, é necessário avaliar a constitucionalidade dessa atitude.

“Tem pareceres dizendo que pode [a tabela mínima] e que não pode. Vamos analisar”, afirmou Rodrigues.

Carlos Alberto Littdammer, presidente do Sindicato dos Transportadores Autônomos de Ijuí (RS), disse que a tabela mínima foi calculada para dar dignidade para os caminhoneiros. Segundo ele, a solução não foi dada hoje apenas para o governo produzir os argumentos jurídicos para que a tabela possa ter validade.

“Se a tabela não for impositiva, no dia 23, tem data para o Brasil parar”, afirmou Littdammer. “Inconstitucional é a fome”.

Representantes de empresas que acompanharam o debate disseram à Folha que o governo terá pouca margem para não dar a tabela nesse momento. Para esses observadores, os diferentes grupos de caminhoneiros agora estão organizados e todos apoiam esse pleito.

Janir Bottega, que representava os caminhoneiros autônomos de Santa Catarina e participou do grupo que elaborou a tabela de frete, disse que os valores apresentados pelo grupo são os mínimos para garantir dignidade para a categoria, já que os fretes pagos hoje estão entre 20% e 30% abaixo do que pode ser considerado o mínimo. Ele lembrou que o problema piorou após a política do governo de incentivar a compra de caminhões novos, o que criou uma superoferta.

“Hoje há uma bolha e essa bolha achatou o preço do frete. Por isso estamos procurando essa regulagem”, afirmou Bottega.

Fonte: : Folha de São Paulo

PRF divulga períodos de restrição ao tráfego de veículos de carga em feriados

Objetivo é garantir fluidez no tráfego e evitar acidentes

PRF divulga períodos de restrição ao tráfego de veículos de carga em feriadosA PRF (Polícia Rodoviária Federal) publicou, no DOU (Diário Oficial da União) desta segunda-feira (30), os dias e horários em que o tráfego de veículos de carga ficará restrito nas BRs. A medida vale para todas as rodovias federais de pista simples. Motoristas que não respeitarem a ordem serão multados em R$ 85,13 e somarão quatro pontos na carteira. A infração é média e o veículo somente poderá seguir viagem ao fim do período de restrição.

Conforme o chefe da divisão de fiscalização e trânsito da PRF, inspetor Airton Motti, a determinação decorre de estudos realizados sobre a infraestrutura nas rodovias e volume de tráfego. “Já há alguns anos, a Polícia Rodoviária tem essa prática de restringir a circulação de veículos de grande comprimento e de carga. É uma estratégia que funciona, porque, às vezes, tem polos de grande produção, com muita movimentação, e nessas regiões presenciamos acidentes graves”, explica.

Estão fora da medida, segundo a PRF, combinações de veículos com até duas unidades, sendo um caminhão-trator e um semirreboque ou um caminhão e um reboque. De acordo com a portaria, para o próximo feriado, que é a Semana Santa, a medida valerá entre 16h e 24h do dia 2 de abril, quinta-feira, e das 6h às 12h do dia 3 de abril, sexta-feira, além do domingo, 5 de abril, entre 16h e 24h. No de Tiradentes, a restrição vigorará no dia 18 de abril, sábado, entre 6h e 12h, e no dia 21 de abril, terça-feira, das 16h às 24h.

Clique aqui para acessar a íntegra da portaria 12, de 26 de março de 2015 e saber os dias e horários das restrições nos demais feriados.

Fiscalização na Semana Santa

A Polícia Rodoviária Federal já definiu a estratégia de fiscalização para o feriado de Semana Santa. O efetivo de agentes nas rodovias deve ser ampliado de 20% a 30%. Segundo o inspetor Airton Motti, apesar de esse ser um feriado menos violento, todo o aparato de logística – motocicletas e viaturas – radares e etilômetros estarão à disposição dos agentes e serão utilizados para potencializar a fiscalização.

Fonte: Agência CNT de Notícias

Transportadores de cargas pedem novos investimentos em infraestrutura

Para o setor, nos próximos quatro anos, o governo deve agir para retomar o crescimento da economia.

ffffOs transportadores rodoviários de cargas cobram, do governo federal, mais investimentos em infraestrutura logística, a fim de reduzir os custos operacionais das empresas.

Conforme a NTC & Logística (Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística), essa é uma das medidas essenciais para garantir competitividade para o setor.

O presidente da entidade, José Hélio Fernandes, sustenta que a aplicação dos recursos deve ocorrer de forma racional em todos os setores, com fiscalização para atingir melhores resultados. “É preciso que o governo faça os ajustes necessários para que o país retome o crescimento, permitindo a manutenção do emprego e geração de renda para todas as camadas sociais”, defende.

No discurso de posse, a presidente Dilma Rousseff disse que será lançado o PAC 3 (Programa de Aceleração do Crescimento) e o PIL 2 (Programa de Investimento em Logística), mas não detalhou projetos ou recursos que serão aplicados.

Outra demanda da NTC & Logística é que seja implementado o recadastramento do RNTRC (Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Cargas) com inovações propostas pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres). O objetivo, segundo a Agência, é implementar melhorias no marco regulatório de forma a atender às necessidades imediatas do setor.

Entre as novidades propostas, estão a criação da identificação de Transportadores de Carga Própria no RNTRC; o estabelecimento de regras específicas para comprovação de posse veicular; a obrigatoriedade do uso de tacógrafo digital nos veículos cadastrados na frota de transportadores remunerados; obrigatoriedade de cadastro de até dois prepostos que compartilham o veículo com transportador autônomo de cargas; delimitação da quantidade de veículos na frota dos autônomos; e a criação da identificação eletrônica de veículos.

Até o dia 30 de janeiro, a ANTT recebe contribuições para a proposta de revisão da resolução 3.056/2009, que estabelece os procedimentos para inscrição e manutenção no RNTRC.

As informações estão disponíveis no site da Agência (http://www.antt.gov.br) e mais informações podem ser obtidas pelo e-mail cp17_2014_suroc@antt.gov.br.

No Legislativo, o setor aguarda a votação de mudanças na lei 12.619/2012, que regulamentou a profissão dos motoristas. Segundo o presidente da NTC, o tema “é de grande importância para o setor, uma vez que traz segurança jurídica na área trabalhista”.

Outros assuntos que devem ser trabalhados junto ao Congresso Nacional, nos próximos quatro anos, são propostas que possam aprimorar o combate ao roubo de cargas.

Fonte: Agência CNT de Notícias

App fiscaliza rodovias de São Paulo

Quem trafega pelos 6,4 mil quilômetros de rodovias como Bandeirantes, Raposo Tavares, Anhanguera, Rodoanel, Castelo Branco, Anchieta, Imigrantes, além de outras em todo o estado de São Paulo, já pode usar a mobilidade para fiscalizar, em tempo real, as condições dessas estradas. O Programa de Concessões Rodoviárias do Estado de São Paulo, a ARTESP (Agência de Transporte do Estado de São Paulo) lançou o aplicativo “Eu-Vi”, gratuito e disponível para os sistemas iOS (iPhone) e Android.

Como dirigir e usar o celular são ações que, realizadas ao mesmo tempo, comprometem a segurança dos usuários nas rodovias, ao abrir o “Eu-Vi”, o surge um aviso de que somente o carona ou outro passageiro pode utilizar o aplicativo com o veículo em movimento. De acordo com a ARTESP, o motorista nunca deverá utilizar o celular dirigindo, devendo procurar um local seguro e fora da via para relatar a ocorrência.

Ao usar o aplicativo o motorista não pode se envolver em situações de risco que comprometam a sua vida e a dos demais motoristas e usuários da rodovia. A ARTESP orienta que os usuários do aplicativo sempre sigam essas recomendações:

Com o app, os motoristas podem ainda sugerir melhorias ou relatar à ARTESP qualquer problema vivenciado em uma das rodovias sob concessão no estado de São Paulo. O Aplicativo também oferece serviços de imagens, fotos e vídeos de até 10 segundos, que serão georeferenciados. O objetivo é que o usuário registre situações como buraco no asfalto ou placas danificadas (veja lista completa ao final do texto).

Após postar a foto ou vídeo, o usuário poderá fazer um comentário relatando a ocorrência ou sugestão. O registro será enviado diretamente para a ARTESP, que irá acionar a concessionária responsável pela rodovia para responder e solucionar o problema.

De acordo com a ARTESP, pelo contrato de concessão, as empresas têm prazos estipulados para dar solução a cada tipo de problema que apareça na rodovia sob sua administração. Se este prazo for desrespeitado, está prevista punição, que varia de autuação, multa e até mesmo perda da concessão. Para o usuário, as concessionárias terão prazo de até 10 dias para enviar resposta.

As manifestações serão validadas através do reconhecimento do sinal GPS do smartphone, por isso é importante que o sistema do aparelho do usuário esteja ligado e com conexão ativa de internet. Se o sinal de internet estiver fraco, o aplicativo guarda o registro, e o usuário poderá enviá-lo assim que houver sinal ou conseguir acessar uma rede de wi-fi. A Agência adverte que não serão atendidas as manifestações de locais fora da malha rodoviária sob concessão (por exemplo, um local de dentro da cidade), ou que estejam fora da área de atuação da ARTESP.

Confira abaixo situações que o motorista/passageiro pode mostrar por meio do “Eu-Vi”, e os respectivos prazos para que o problema seja solucionado:

Conservação de barreiras de concreto – solução em uma semana;

Defensas metálicas e cercas – solução em uma semana;

Mato alto ao longo da pista – acionamento das equipes de imediato;

Pichação ao longo da estrada – solução em uma semana;

Limpeza de canaletas e bueiros – solução em um mês;

Iluminação de passarelas – solução em uma semana;

Conservação de ponto de ônibus – solução em uma semana;

Conservação de pontes, viadutos e túneis – solução em uma semana;

Conservação de sinalização (placas, faixas) – repintura em uma semana/limpeza em um mês;

Buraco no asfalto – solução em um dia;

Lixo na estrada – solução em uma semana;

Queimada/fumaça – acionamento das equipes de imediato;

Animais na estrada – solução em um dia.

Fonte: SETCESP

Saindo da mesmice: 10 dicas que mudarão a cara da décor da sua casa

Ao falarmos em mudar a casa, mirabolamos grandes reformas e gastos. Poeira, sujeira e muita dor de cabeça. Mas se engana quem acha que é só deste jeito que podemos dar uma nova identidade aos ambientes. Com pequenas mudanças de cor, material e disposição de objetos, o lar pode ganhar ares mais frescos e modernos.

Listamos dez mudanças fáceis e bem acessíveis para quem cansou de olhar sempre para a mesma parede ou enjoou de se jogar no sofá marrom que entristece o ambiente. É hora de mudar sem passar trabalho!

1. Sofá colorido

Quem disse que só existe sofá cinza, bege, marrom ou preto? Ao invés de mudar a cor de uma parede da sala, uma boa ideia é utilizar o sofá como ponto de cor no ambiente. Vermelho, rosa, verde; tons pasteis, tons escuros; em couro, camurça ou até veludo, as opções são muitas. Fuja do óbvio!

2. Tijolo a vista x branco

Em meio a quartos e salas com paredes branquinhas, poucos metros de parede de tijolo a vista fornecem um quê de aconchego a qualquer ambiente. Se mesclada com branco itens em branco – em mesas, cadeiras e até no piso – a parede cria um ar sofisticado e ultramoderno.

3. Quadros não-pendurados

O quadro está apoiado na bancada? No chão? Engana-se quem pensa que é desleixo. A mania dos quadros cuidadosamente não-presos na parede é um dos truques mais fáceis de modernizar uma casa. Quando enjoar, é só trocar de cômodo. Viu só?

4. Escada de madeira = prateleira

O mix do rústico com o moderno é sempre bem-vindo na decoração de uma casa. Na lista de alternativas diferentes, além da escolha de móveis feito com madeira de demolição, uma boa dica é reutilizar itens como caixas de feira e até mesmo escadas de madeira, transformando-as como prateleiras para livros e artigos de decoração.

5. Garrafas de vidro

De vinho, de espumante, de água, do que for: as garrafas de vidro ganham uma nova cara ao se transformarem em vasos para flores e arranjos de plantas de todos os tipos.

6. Divisória de madeira na área de serviço

Área de serviço não precisa ser sinônimo de bagunça, mas nem todo mundo quer ter seu varal de roupas exposto dentro de casa, certo? Uma boa opção é inserir uma divisória ou porta de correr entre um ambiente e outro. Além de cortar aquele clima frio do ambiente, traz um clima de aconchego ao lar.

7. Cama com pallets

Mais uma ideia interessante para quem gosta de um toque rústico no lar. Um simples conjunto de pallets inserido abaixo de uma cama box já renova qualquer quarto, exigindo uma quantidade mínima e gastos. Mas cuidado: nada de usar o truque em ambientes muito pesados e repletos de cores e artigos decorativos; ele funciona melhor em uma decoração clean.

8. Cimento queimado + cor

Ao invés da clássica combinação parede branca + parede colorida, que tal inserir uma parede de cimento queimado na casa para neutralizar o colorido? O ar industrial fica super moderno e sofisticado.

 

9. Geladeira colorida ou estampada

Em uma cozinha neutra – como a maior parte das cozinhas são -, a bossa pode ficar por conta da própria geladeira. Estampada ou simplesmente colorida, engana-se quem pensa que para isso o modelo precisa ser retrô: há diversos lugares que prestam serviço de pintura de geladeira. Que tal tentar?

10. Cadeiras diferentes

Todo dia uma cadeira! O charme de uma sala de jantar pode ser resultado de um mix variado e assimétrico de cadeiras que, combinadas a uma boa mesa de madeira ou vidro, trazem um quê de elegância despretensiosa que termina por ser ultrassofisticado.

Fonte: Donna

Página 7 de 10« Primeira...56789...Última »