Blog

Mudança radical: pessoas estão abandonando a cidade grande em busca de paz, saúde e qualidade de vida

Mudança radical: pessoas estão abandonando a cidade grande em busca de paz, saúde e qualidade de vida

mudanca-cidade-grande-interior.fw

Há algumas décadas, era muito comum as famílias ou pessoas migrarem da vida rural para a vida urbana, buscando melhores oportunidades de trabalho.

Na verdade, esta é uma questão histórica, que teve início na chamada “revolução industrial”, que nada mais foi do que a explosão da evolução das indústrias. O surgimento de milhares de fábricas ao redor do mundo gerou muitas oportunidades de emprego, e estimulou muita gente a abdicar da sua vida no interior em busca de melhores condições financeiras nas grandes cidades.

Contudo, os tempos são outros. Já não é de hoje que as grandes cidades não conseguem acompanhar o alto crescimento populacional, o que acaba gerando baixa qualidade nos serviços públicos, poluição, engarrafamentos no trânsito, e a violência, que é um grave problema que vem amedrontando as pessoas incessantemente.

Com todos estes problemas, muitas pessoas estão tomando o caminho inverso ao do passado, deixando as grandes cidades, pensando menos no dinheiro e privando pela maior qualidade de vida que o campo pode proporcionar.

As famílias que decidem por esta mudança radical, normalmente estão esgotadas da rotina vivida na cidade, e o momento econômico do país interfere muito nisso, pois o valor dos imóveis e dos produtos estão cada vez maiores com a inflação, fatores que levam estas pessoas a pensarem: até que ponto vale a pena viver num lugar onde tudo está caro, estressante e violento?

Na maioria dos casos, esta decisão é tomada pensando na qualidade de vida dos filhos, pois a possibilidade de criar uma criança junto a natureza, fazendo ela aprender a valorizar as coisas simples da vida, longe do ambiente urbano e capitalista, são alguns dos principais motivos da transição cidade e campo.

A possibilidade de produzir o seu próprio alimento é outro fator relevante para muitos que tomam esta iniciativa. Com uma pequena horta e força de vontade, é possível produzir seu próprio alimento, de forma orgânica e muito saudável, fora o fato de que o custo de vida em pequenas cidades do interior e no campo é muito mais baixo.

Entretanto, querer e fazer não são a mesma coisa, e apesar de todos nós estarmos esgotados com os problemas urbanos, principalmente com a violência, nem sempre possuímos a certeza e a coragem para tal decisão, mas vale a pena realizar a reflexão dos valores.